quarta-feira, 5 de junho de 2013

Psicoterapia: quando e onde procurar apoio



Psicoterapia: quando e onde procurar apoio


Ao longo da vida há momentos menos bons, que podem fazer com que se sinta “em baixo”. Por exemplo, a morte de alguém próximo, a perda do emprego ou uma mudança súbita no quotidiano. O sofrimento é uma componente normal da vida. Mas há sintomas a que deve estar atento.

Nos últimos três anos, 17% dos 1350 portugueses inquiridos pela TESTE SAÚDE, uma das revistas editadas pela DECO PROTESTE, dizem ter recorrido a ajuda profissional para enfrentar problemas emocionais. Embora a quase totalidade dos participantes demonstre uma atitude positiva relativamente ao apoio psicológico neste tipo de situações, cerca de metade nunca o procurou quando a isso foi aconselhado.
O apoio de familiares, amigos e colegas de trabalho, a convicção de que conseguem superar as dificuldades sozinhos, o custo da terapia, a falta confiança nos profissionais de saúde mental e o desconhecimento de como procurar o terapeuta indicado são alguns dos motivos apresentados para abdicarem de ajuda técnica.
Procure ajuda se...
  • Perder, de forma prolongada, a capacidade de controlar as emoções, agindo de um modo capaz de lhe trazer mais problemas.
  • Deixar de conseguir cumprir as suas tarefas, durante um período de tempo significativo.
  • Prolongar o sofrimento associado a um luto durante um intervalo de tempo muito longo (por exemplo, mais de um ano).
  • Tiver sintomas físicos recorrentes de ansiedade, como dificuldade em respirar, peso no peito, desmaios ou crises de pânico.
  • O médico de família ou os seus amigos o aconselharem a procurar ajuda especializada.

Como escolher o profissional

Ao procurar apoio, terá de escolher entre ser atendido no sistema público ou no privado. Em Portugal, os cuidados privados na área da saúde mental não são comparticipados pelo Estado, a menos que seja beneficiário de algum subsistema de saúde, e desde que o médico de família prescreva a necessidade de psicoterapia. Tenha em conta o preço. O custo médio das consultas ronda 60 euros. Segundo a Teste Saúde apenas um seguradora em Portugal, comparticipa consultas nesta área, desde abril de 2013.

Se optar pelo sistema público, peça referenciação ao médico de família, que o poderá encaminhar para um profissional da área da saúde mental. No privado, peça referências a outros profissionais.
Escolha o profissional em função do problema. O acompanhamento psiquiátrico é imprescindível em situações mais graves, que podem beneficiar com a psicoterapia, mas que exigem o recurso a medicamentos. Alguns psiquiatras têm formação para intervir das duas formas. Mas a maioria dos tratamentos psicoterapêuticos é realizada por psicólogos clínicos, que devem estar também habilitados para o efeito (ou seja, fizeram formação em psicoterapia, após a licenciatura em psicologia).
Para maior segurança, confirme se o profissional escolhido é membro da Ordem dos Psicólogos. O portal da ordem permite fazer uma consulta por nome. Esta pesquisa diz-lhe se o profissional está registado e qual a sua categoria profissional.

Fonte: Revista Teste Saúde da DECO PROTESTE 
Postado por: Sónia Domingos Pedro