sexta-feira, 13 de setembro de 2013

 MERCADO LIBERALIZADO DE ELETRICIADADE E GÁS NATURAL

No passado mês de julho, cerca de 82 mil clientes passaram para o mercado liberalizado da eletricidade, o que representa um crescimento de 4,6%, totalizando este mercado já 1. 863 mil clientes. Para este substancial aumento contribuíram quer o leilão promovido pela DECO e ganho pela Endesa, para os consumidores domésticos, quer as outras campanhas entretanto promovidas por outros comercializadores. 

Desde o final de 2012, tem sido significativa a adesão dos consumidores domésticos ao mercado liberalizado, cujo consumo corresponde a cerca de 32% do total do segmento. Por seu lado, a quase totalidade dos consumos dos grandes consumidores está já em mercado livre.

Em termos globais, o consumo do mercado liberalizado (consumidores domésticos e grandes consumidores) representa mais de 68% do consumo total de eletricidade em Portugal.

Importa referir que:
'   As tarifas reguladas de venda a clientes finais acabaram no final de 2012 para a totalidade dos consumidores portugueses de eletricidade e gás natural, devendo começar a procurar um comercializador de mercado.
'     Para a quase totalidade dos consumidores domésticos – 4,7 milhões na eletricidade e 1,1 milhões no gás natural – cuja tarifa regulada foi extinta a partir de 1 de janeiro de 2013, existe um período transitório de 3 anos, até ao final de 2015, para mudar para um comercializador em mercado.
'    Em 1 de julho de 2012 já tinha sido extinta a tarifa regulada para os consumidores domésticos com maiores consumos – potência igual ou acima de 10,35 kVA, no caso da eletricidade, e com um consumo anual superior a 500 m3, no caso do gás natural – para os quais o período transitório é de 2 anos e meio (até ao final de 2014 têm que mudar para o mercado livre).
'     Durante o período transitório, os consumidores no mercado regulado, continuam a ser abastecidos pelo comercializador de último recurso com uma tarifa transitória fixada pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) e que será sujeita a revisão trimestral.
'    Concluir-se-á assim o processo de liberalização dos mercados de eletricidade e gás natural em Portugal Continental.

O processo de mudança de comercializador:
I   É gratuito;
I   Não exige a mudança de contador;
I É acionado pelo comercializador com quem foi celebrado um novo contrato de fornecimento de energia.

Para mais informações, lista de comercializadores e simuladores consultar: 

Postado por: Manuel José Sargaço